Conheça o site do Dr. Rondó: http://www.drrondo.com/
Acompanhe suas novidades no Facebook: www.facebook.com/DrRondo

05/01/2011

A conceituadíssima Vigilantes do Peso troca o sistema de pontos, baseado em calorias, por mais nutrição. Velhos conceitos são superados e as dietas para emagrecer ganham qualidade!

O presidente da maior companhia de programa de emagrecimento do mundo declarou recentemente que a estratégia de contar calorias adotada pela Vigilantes precisava mudar. O raciocínio é simples: dois alimentos que contenham a mesma quantidade de calorias, mas apresentem diferenças de nutrientes, não podem ser tratados da mesma maneira. O sistema de pontos usado foi então abandonado.
Considerar apenas as calorias pode levar as pessoas à má nutrição. A nova regra é alimentar-se de forma mais consciente, com produtos naturais e menor quantidade de processados. Prioriza proteínas e fibras, que exigem gasto maior de energia para serem metabolizadas e dão sensação de saciedade por mais tempo. Mas lembre: cada um de nós precisa de proporções diferentes de proteínas, carboidratos e gorduras.
O equilíbrio entre esses nutrientes só a dieta baseada no tipo metabólico pode oferecer. E como a Vigilantes do Peso liberou frutas na dieta de forma ilimitada, recomendo cautela. Excesso de frutose, que encontra-se não só em frutas como em quase todo alimento industrializado, na forma de xarope de milho é bastante prejudicial para quem apresenta resistência à insulina, síndrome metabólica, diabetes, pressão alta e colesterol elevado.

10/11/2011

15/09/2011

Como seu corpo reage quando você toma estatinas para baixar colesterol

Há risco de complicações. Acabe com a impressão de estar seguro contra problemas vasculares, pois eles e muitos outros podem acontecer.
Volto a insistir: estatinas podem ser perigosas. Bem ao contrário do que é divulgado, o uso desse medicamento destrói a benéfica coenzima Q10, levando a cansaço, fraqueza muscular e eventual falência cardíaca. Há ainda outros riscos a considerar, como possibilidade de desenvolver câncer, anemia, catarata, acidoses e até disfunção sexual e de pâncreas, além de sofrer lesões importantes em fígado, músculos, assim como em nervos das extremidades do corpo.
Manter o colesterol muito baixo amplia a lista de problemas, pois em pouca quantidade colesterol não é sinônimo de saúde. Na verdade, aumenta risco de Parkinson, depressão, derrame, comportamento violento e tendência a suicídio. Colesterol é fundamental e indispensável para a produção de hormônios, atua como poderoso antioxidante, é precursor da vitamina D, antiinflamatório, reparador corpóreo e auxilia na digestão de gorduras.
Pacientes que se beneficiam de estatinas são aqueles que resistem a outras medidas para reduzir o colesterol. É o caso dos que apresentam um defeito genético conhecido como hipercolesterolemia familiar. Aos outros, prefiro indicar exercícios regulares, diminuir grãos e açúcares na alimentação a fim de controlar os níveis de insulina, e acrescentar à dieta ômega 3 de boa qualidade, com possível suplementação, se necessário. Fique atento!
30/08/2011

Está mais que provada a necessidade de suplementos alimentares para a boa saúde.

A maioria de nós age de forma inconsequente diante do assunto. Sequer se informa a respeito. Com o tempo, talvez pague um preço alto por isso.
De modo geral, detestamos mudanças. Fazemos tudo para preservar hábitos, crenças e estilo de vida. Por isso ainda achamos que basta a pelada semanal com os amigos para manter a forma, que vitamina engorda, que essa história de suplementação alimentar foi inventada para tirar dinheiro dos trouxas. Pois saiba que precisa de suplementos mesmo o paciente ideal, o que se alimenta bem, não fuma, bebe com moderação e se exercita diariamente.
Os alimentos de hoje são muito, mas muito menos nutritivos que os do passado. Apenas 4% dos americanos recebem a quantidade mínima de vitaminas recomendada por dia. Dá para entender: seriam necessárias 60 porções de espinafre para conseguir a mesma quantidade de ferro encontrada em apenas 1 porção nos idos de 1948! E não menos de 25 copos desse vegetal para atingir a quantidade recomendada de vitamina E, que protege o sistema cardíaco.
E tem mais: 91% dos americanos não consomem a quantia recomendada de frutas e vegetais e 2/3 deles têm dieta deficiente em zinco, vital para a integridade do sistema imunológico. Nossa dieta é bastante semelhante à deles. A menos que você seja uma raríssima exceção, só tem conseguido manter níveis sofríveis de vitaminas e minerais. Para ter saúde de verdade, você precisa bem mais do que os níveis mínimos recomendados.

Não vacile!

19/07/2011

VOCÊ SABIA …. ?

No coco há gorduras especiais, conhecidos como Triglicérides de Cadeia Média (TCM),que são rapidamente convertidas em energia, o que torna o óleo de coco (especialmente) rico em vitaminas  lipossolúveis (A,D,E,K), ideal para ser usado antes do treino. Com isso você obterá mais energia, maior proteção anti-oxidante e queimará mais gordura na atividade física.
Essas vitaminas são catalizadores ou ativadores do metabolismo mineral e importantes para a absorção também das vitaminas hidrosolúveis, melhorando a função da Tireóide e ajudando a manter um metabolismo saúdavel.
Na atividade física:
  • Aumenta a disposição (Stamina);
  • Aumenta a resistência;
  • Melhora  a performance;
  • Melhora o desenvolvimento muscular;
  • Melhora a absorção de oxigênio;
  • Promove mais rápida recuperação pós exercícios;
  • Reduz danos articulares e musculares causados por atividades
    físicas intensas (uso oral e tópico);
Com isso os seus  músculos terão  a performance desejada, não o deixando cansado e desencorajado durante o exercício.
O óleo de coco é o mais saudável dos óleos que você pode consumir.
É rico em ácido láurico  que é conhecido por ter ação antiviral, antibacteriano e antifúngico além de conter zero de gordura trans. Promove saúde cardíaca, ativa o metabolismo queimando mais gordura
e torna a pele rejuvenescida. Não se deposita como gordura nas células e artérias.
Para o seu sucesso na atividade física você precisa do combustível certo para gerar energia ficando magro e musculoso, o seu corpo depende disso…
Segundo os estudos publicado no Journal of Applied Physiology, somente há ganho muscular consumindo proporções adequadas de proteína e gordura boa, no caso o
óleo de coco é essa gordura !
GANHE ENERGIA REAL COM GORDURA
“Muitos dos meus pacientes me olham com desconfiança quando  eu lhes digo que eles podem ganhar energia e
emagrecimento real através da gordura. Eles estão tão condicionados a pensarem
que gordura é ruim, que é difícil acreditar na realidade.
Gordura boa é bom para você.”

12/05/2011

De volta para o futuro!

Reabilitar a gordura saturada natural, como a do óleo de coco, é um salto de qualidade para dias melhores.
Por 60 anos as autoridades médicas nos fizeram acreditar que gordura saturada elevava colesterol, causava doenças cardíacas, obesidade e até Alzheimer. Nós, pobres mortais, deixamos de consumi-la esperando dias melhores. Mas essas doenças continuam aumentando. Algo deve estar errado. Até porque, em populações de ilhas do Pacífico, que retiram de 30 a 60% de suas calorias diárias do óleo de coco, rico em gordura saturada, os índices de doença cardiovascular, por exemplo, é ínfimo.

A verdade assumida

O fato é que nem todas as gorduras saturadas são iguais. Há as naturais, como a de coco, e as criadas em laboratórios, por meio da hidrogenação. O processo causa o endurecimento do óleo, o que beneficia alimentos processados, permitindo que resistam mais tempo no mercado. Este tipo de gordura é condenável. Mas parece haver luz no fim do túnel: grande parte da comunidade médica e científica já admite que óleos vegetais hidrogenados devem ser evitados.

Onde está o segredo

Cerca de 50% da gordura de coco é ácido láurico, a maior concentração encontrada na natureza. No corpo, ele se transforma e ajuda a destruir camadas de gordura que protegem vírus, bactérias e protozoários. Sua presença é importante no combate a HIV, herpes, influenza, bactérias patogênicas e protozoários como Giardia lamblia, comum no intestino humano. Junto com o ácido caprílico, também encontrado na gordura de coco, aumenta seu poder antimicrobial. A maioria de óleos de sementes e outros produtos vegetais contêm triglicérides de cadeia longa, que exigem enzimas especiais para a digestão, sobrecarregam o sistema digestivo (em especial fígado e pâncreas), depositam-se no corpo como gordura e nas artérias sob a forma de colesterol. É notável a diferença entre eles e o óleo de coco natural, que apresenta cerca de 2/3 de ácidos graxos de cadeia média (TCM). É a fonte mais rica de TCM encontrada na natureza. Veja!
  • De tamanho menor, não requerem enzimas especiais, passando com facilidade pelas membranas celulares.
  • São fáceis de digerir, não sobrecarregam o sistema digestivo.
  • Vão direto para o fígado onde logo se convertem em energia em vez de serem depositados como gordura.
  • Estimulam o metabolidmo, levando à perda de peso.

Benefícios irresistíveis

No combate ao diabetes – Como os carboidratos, o óleo de coco é poderosa fonte de energia imediata, mas com uma vantagem: não causa picos de insulina na corrente sanguínea e seus efeitos debilitantes associados aos carboidratos. É perfeito para diabéticos e pré-diabéticos, que se beneficiam com perda de peso, ganham energia e controlam melhor a evolução da doença.
Para esportistas – Óleo de coco ativa o metabolismo e a tireóide, facilitando a perda de peso e reduzindo os depósitos de gordura. Excelente para atletas de qualquer nível, pois libera energia com rapidez, melhorando a performance.
Para o coração – Apesar do que afirmam por aí, a gordura saturada natural não é culpada por problemas cardiovasculares. O perigo está na gordura polinssaturada de vegetais e óleos de sementes, que estimulam a formação de trombos. Óleo de coco depura as funções de coagulação do sangue protegendo contra tromboses.
Em alterações de humor – Os nutrientes lipossolúveis e a gordura saturada do óleo de coco suavizam os sintomas da depressão. Por estabilizar o açúcar na circulação sanguínea, esse óleo evita oscilações emocionais.
Na compulsão alimentar – Ela ocorre quando seu corpo não está recebendo os nutrientes que precisa. O óleo de coco ajuda a combatê-la pelo fato de conter vitaminas lipossolúveis, o que permite maior assimilação de vitaminas e minerais.
Para o aparelho digestivo – O óleo de coco é a gordura ideal para quem tem problemas de vesícula, pois não necessita de bile para ser digerido. E quando associado à vitamina A, melhora o sistema imunológico, o que é muito importante para quem sofre de problemas digestivos como síndrome do cólon irritável e doença de Chron.
Para a pele – Funciona como anti-oxidante. Rebate os efeitos lesivos da radiação ultravioleta, suaviza rugas e combate a flacidez.
Em dietas para emagrecer – A associação de gorduras saturadas de cadeia média com vitaminas A e D melhoram as funções da tireóide e combatem o acúmulo de gorduras. Seu consumo constante queima aproximadamente 200 calorias a mais por dia. Sem precisar alterar a alimentação, basta isso para perder cerca de 3 k de gordura em um mês.
Gordura de coco, saturada da boa, tem alto poder de proteção e energia!
Combate vírus, protozoários e bactérias nocivas, protegem o sistema cardiovascular, é fonte de energia rápida e ajuda a emagrecer.
A história de que gordura saturada faz mal envelheceu mesmo! Por razões econômicas, tentaram substituí-la por óleos hidrogenados, que imperaram por cerca de 60 anos. Mas a verdade acabou redescoberta e suas qualidades são louvadas até no meio médico, onde já se admite que os hidrogenados devem ser evitados. Esses, sim, são produtos responsáveis pela epidemia de obesidade e diabetes que vem drenando a saúde das pessoas em diferentes partes do mundo.
Um grande diferencial do óleo de coco reside no ácido láurico, em que é rico. No corpo, ele se transforma e ajuda a destruir vírus, bactérias patogênicas e protozoários. Sua presença é importante no combate a HIV, herpes e influenza, por exemplo. Junto com o ácido caprílico, também encontrado na gordura de coco, aumenta seu poder antimicrobial. É perfeito para diabéticos e pré-diabéticos, que se beneficiam com perda de peso, ganham energia e controlam melhor a evolução da doença.
Outra qualidade notável é ser a fonte mais rica de ácidos graxos de cadeia média (TCM) encontrada na natureza – cerca de 2/3! De tamanho menor que os de cadeia longa dos óleos hidrogenados, esses ácidos não requerem enzimas especiais para serem digeridos, passando sem dificuldade pelas membranas celulares sem sobrecarregar o sistema digestivo. Vão direto para o fígado e se convertem em energia em vez de se depositarem como gordura. O uso de óleo de coco na cozinha ou como suplemento alimentar faz bem à saúde.
Wilson Rondó Jr. é especialista em medicina preventiva, nutrólogo e cirurgião vascular. Mantenha-se informado sobre seu trabalho e sobre os serviços oferecidos pela W.Rondó Medical Center pelo site www.drrondo.com